NOTÍCIAS

Voltar

09.03.2018 - Imposto de Renda: 8 erros que o produtor rural deve evitar no momento da declaração

Quem apresentar o IR após 30 de abril, fica sujeito a multa de 1% ao mês ou fração de atraso, calculada sobre o total do imposto devido.

 

O prazo para a declaração do Imposto de Renda 2018 (IR) terminará no dia 30 de abril. Assim como os outros profissionais, o produtor rural deve estar preparado para fazer a declaração corretamente e evitar ter problemas com a Receita Federal.Embora esse seja um compromisso anual, a declaração do imposto de renda ainda gera dúvidas.

 

De acordo com o especialista em contabilidade Henrique Formigoni, que também é coordenador do Mestrado Profissional em Controladoria e Finanças Empresariais do Mackenzie, é fundamental respeitar o prazo estabelecido pela Receita Federal. “Caso o contribuinte apresente a declaração após 30 de abril, fica sujeito a multa de 1% ao mês-calendário ou fração de atraso, calculada sobre o total do imposto devido apurado na declaração, ainda que integralmente pago, sendo que o valor mínimo é de R$ 165,74 e o valor máximo é de 20% do imposto sobre a renda devido”, explica Formigoni. Confira clicando aqui todas as dicas para declarar o imposto de renda.

 

 

Os principais erros do imposto de renda

 

1 – Omissão de rendimentos

De acordo com o especialista em contabilidade, o principal erro está na omissão de rendimentos. Por exemplo, a pessoa não declara um trabalho que tenha realizado como autônoma, ou um emprego no qual tenha ficado apenas pouco tempo.

 

2 – Declaração de dependente

Outro equívoco é incluir na sua declaração um dependente com renda, mas não informar esse rendimento. Por exemplo, um filho que faz estágio e é incluído na declaração do pai, ou um pai que recebe aposentadoria e foi incluído na declaração do filho.

 

3 – Despesas médicas

Declarar despesas médicas que não têm comprovação ou que não podem ser deduzidas. Outro erro é relativo ao reembolso eventualmente recebido de alguma despesa médica, que deve ser informado no campo “Parcela não dedutível/valor reembolsado”.

 

4 – Plano de previdência

Confundir o plano de previdência do tipo PGBL com o VGBL. Apenas as contribuições feitas a planos do tipo PGBL e Fapi podem ser deduzidas na declaração do IR. A previdência do tipo VGBL deve ser declarada como aplicação financeira.

 

5 – Aposentadoria e 13º salário

Não declarar os rendimentos de aposentadoria é um erro comum. Outro erro é declarar valores diferentes daqueles que constam do comprovante de rendimentos fornecido pela fonte pagadora. Por exemplo: somar o imposto relativo ao 13º salário ao imposto retido na fonte, na ficha Rendimentos Recebidos de Pessoa Jurídica.

 

6 – Valor dos bens

Atualizar o valor de bens, como por exemplo: da casa, do carro ou de outros bens pelo preço de mercado não é permitido. Os bens devem ser declarados pelo custo de aquisição.

  

7 – Renda de aluguel

Não declarar renda de aluguel é outro problema comum. De acordo com orientações do especialista, aluguel recebido é rendimento tributável e precisa ser declarado.

 

8 – Pensão alimentícia

Quem recebe pensão alimentícia precisa declarar o rendimento. “Quem paga pensão alimentícia pode deduzir integralmente o valor pago em Pagamentos Efetuados, desde que obrigado por uma decisão judicial ou acordo homologado em cartório”, explica Henrique Formigoni.

 

Fonte/Créditos da Imagem: SF Agro