NOTÍCIAS

Voltar

12.07.2017 - USDA reduz estoques de soja dos EUA e sobe exportações da safra velha

O USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) divulgou seu novo boletim mensal de oferta e demanda e confirmou a redução dos estoques finais de soja tanto da safra velha, como da nova. Além disso, o reporte ainda trouxe vários ajustes entre os números do milho, como um aumento da área norte-americana, da produção e dos estoques da temporada 2017/18. 

 

Soja - Safra 2016/17

 

Os estoques finais da temporada 2016/17 vieram estimados em 11,16 milhões de toneladas, contra 12,2 milhões do boletim anterior e abaixo da média das expectativas, que era de 11,81 milhões. O intervalo esperado era de 10,4 a 12,79 milhões. 

 

Entre os dados de consumo, o departamento indicou uma redução no esmagamento americano para 51,71 milhões de toneladas, e corrigiu, enfim, as exportações norte-americanas para cima, estimadas agora em 57,15 milhões de toneladas. As importações da China também subiram e passaram de 89 para 91 milhões de toneladas. 

 

Ainda sobre a safra 2016/17, o USDA revisou as exportações brasileiras de 62,4 para 61,5 milhões de toneladas, ao passo em que aumentou os estoques finais do Brasil para 25,82 milhões de toneladas. 

 

O boletim indicou ainda um aumento dos estoques da Argentina para 33,1 milhões de toneladas, e um recuo das exportações para 8 milhões de toneladas. 

 

A produção mundial, por outro lado, foi revisada para cima e foi reportada em 351,78 milhões de toneladas, com os estoques finais subindo de 93,21 para 94,78 milhões de toneladas. 

 

Soja - Safra 2017/18

 

Entre os destaques da safra 2017/18 de soja dos EUA vieram o aumento da produção de 115,8 para 115,94 milhões de toneladas e, por outro lado, uma redução dos estoques finais de 13,47 milhões para 12,52 milhões de toneladas. O mercado esperava algo entre 8,16 e 16 milhões de toneladas, com a projeção média em 13,15 milhões. 

 

No quadro global, a produção também subiu e passou de 344,68 para 345,09 milhões de toneladas, enquanto os estoques finais ficaram em 93,53 milhões de toneladas, contra 88,81 milhões do relatório de junho. 

 

Sobre o Brasil, o USDA manteve sua estimativa para a produção em 107 milhões de toneladas, mas subiu os estoques para 23,32 milhões e as exportações para 64 milhões de toneladas. Já para a Argentina, a mudança veio somente nos estoques, agora estimados em 33,1 milhões de toneladas, contra 32,45 milhões do mês passado. 

 

E embora o departamento tenha indicado uma produção maior na China - de 14 milhões de toneladas - estima ainda um aumento das exportações para 94 milhões de toneladas na temporada 2017/18. 

 

Milho

 

Na contramão,o USDA aumentou os estoques finais da safra velha de milho dos EUA para 60,2 milhões de toneladas, contra 58,3 milhões de junho. O mesmo aconteceu com os números da safra nova, os quais subiram de 53,6 milhões para 59,06 milhões de toneladas. 

 

Sobre a safra nova, o USDA trouxe ainda um aumento expressivo das áreas plantada e colhida para, respectivamente, 36,79 e 33,79 milhões de hectares, contra 36,42 e 33,35 milhões do reporte anterior. 

 

Assim, subiu ainda sua estimativa para a colheita americana 2017/18 para 362,1 milhões de toneladas, quando em junho a estimativa era de 357,27 milhões de toneladas.

 

Fonte: Notícias Agrícolas

Créditos: SF Agro